Cristianismo Criativo, sempre! - WhatsApp - (11) 99359-4417

“Daniel - dependência e fidelidade” é um livro que reúne 33 breves estudos, que têm como base e fonte de inspiração a história de Daniel e seus amigos - Hananias, Misael e Azarias. Quando adolescentes, eles foram enviados para a escola real da Babilônia para aprender sobre o império e trabalhar no Palácio real, inicialmente com o rei Nabucodonosor.

Eles deixaram suas casas e famílias e, após anos de estudos e aprendizados sobre a cultura babilônica, passaram a conviver na corte real, tendo direito às iguarias servidas. Ganharam outros nomes e uma nova identidade e por diversas vezes tiveram sua obediência, integridade e fidelidade a Deus testadas e provadas de diferentes formas, da cova dos leões à fornalha de fogo. Mas mantiveram-se fiéis e dependentes de Deus em um reino que idolatrava outros deuses.

Daniel passou toda sua vida de serviço real e chegou à mais alta posição, como governador, já no reinado de Ciro, mas manteve sua posição de dependência e fidelidade a Deus, mesmo diante de conflitos, ciladas e adversidades.

Segundo o pastor Paulo Mazoni, da Igreja Batista Central de Belo Horizonte, a postura de Daniel revela este caráter de fidelidade e de coragem de agir e viver diferente da maioria das pessoas, mesmo em um “contexto de imenso declínio espiritual em Israel - de infidelidade, desobediência a Deus e apostasia, de guerras, invasão estrangeira, de sofrimento e morte”.

Mas será que este desafio seria possível nos dias de hoje?

Mazoni acredita que sim. “O autor nos desafia e motiva a nos mantermos sempre íntegros, verdadeiros e dispostos a colocar a vontade de Deus em primeiro lugar nos dias atuais. Ele nos mostra que, os que assim decidem viver, podem se tornar homens e mulheres tão vitoriosos e bem-sucedidos quanto Daniel”.

Daniel: Dependência e Fidelidade - Hebert Junker

R$39,90 R$34,90
Daniel: Dependência e Fidelidade - Hebert Junker R$34,90

Meios de envio

“Daniel - dependência e fidelidade” é um livro que reúne 33 breves estudos, que têm como base e fonte de inspiração a história de Daniel e seus amigos - Hananias, Misael e Azarias. Quando adolescentes, eles foram enviados para a escola real da Babilônia para aprender sobre o império e trabalhar no Palácio real, inicialmente com o rei Nabucodonosor.

Eles deixaram suas casas e famílias e, após anos de estudos e aprendizados sobre a cultura babilônica, passaram a conviver na corte real, tendo direito às iguarias servidas. Ganharam outros nomes e uma nova identidade e por diversas vezes tiveram sua obediência, integridade e fidelidade a Deus testadas e provadas de diferentes formas, da cova dos leões à fornalha de fogo. Mas mantiveram-se fiéis e dependentes de Deus em um reino que idolatrava outros deuses.

Daniel passou toda sua vida de serviço real e chegou à mais alta posição, como governador, já no reinado de Ciro, mas manteve sua posição de dependência e fidelidade a Deus, mesmo diante de conflitos, ciladas e adversidades.

Segundo o pastor Paulo Mazoni, da Igreja Batista Central de Belo Horizonte, a postura de Daniel revela este caráter de fidelidade e de coragem de agir e viver diferente da maioria das pessoas, mesmo em um “contexto de imenso declínio espiritual em Israel - de infidelidade, desobediência a Deus e apostasia, de guerras, invasão estrangeira, de sofrimento e morte”.

Mas será que este desafio seria possível nos dias de hoje?

Mazoni acredita que sim. “O autor nos desafia e motiva a nos mantermos sempre íntegros, verdadeiros e dispostos a colocar a vontade de Deus em primeiro lugar nos dias atuais. Ele nos mostra que, os que assim decidem viver, podem se tornar homens e mulheres tão vitoriosos e bem-sucedidos quanto Daniel”.